A importância do Nutrir

por Flávia Rodrigues Leite

Hoje no Dia do Nutricionista venho chamar vocês para uma reflexão sobre a importância do nutrir. Quando pensamos no papel do Nutricionista quase sempre associamos ao ganho, perda de peso ou quando existe alguma patologia como diabetes, hipertensão e anemias, mas o papel do Nutricionista vai muito além disso, ainda mais quando falamos dos pacientes com Distrofias Musculares que necessitam de uma dieta bem equilibrada tanto do ponto de vista de valor calórico, mas também de qualidade nutricional, rica em frutas, verduras, legumes, alimentos integrais, proteínas, antioxidantes e não esquecer da água, tendo em vista que um dos problemas que mais vemos é a constipação crônica que é extremamente comum e pode acarretar outros problemas de saúde.


Quando pensamos em um intestino que não funciona de maneira regular, ele é a maior causa de disbiose (alteração da flora intestinal) que pode favorecer infecções intestinais, urinárias e respiratórias por translocação de microrganismos, além das anemias. A baixa ingestão de nutrientes também afeta outros aspectos da saúde como piora no quadro de saúde mental, ansiedade e depressão, afeta ainda mais paciente com TDAH e TEA, favorece a inflamação crônica de baixo grau.


O consumo em excesso de alimentos industrializados que teve um aumentado em grande escala pela nossa população durante a pandemia, podem causar ainda, alergias e sensibilidades alimentares, piorar o quadro de fadiga, podem interferir na qualidade do sono, favorecer o ganho de peso e alterações endócrinas metabólicas como resistência à insulina, aumento de glicemia que já sofre influência pela ação dos corticóides, aumento do stress oxidativo, diminuição das defesas do organismo, lembrando que o nosso sistema imune precisa de muitos nutrientes.


Muitas vezes pensamos na alimentação como algo isolado do acompanhamento dos pacientes com Distrofias Musculares, mas ele é fundamental para que possamos orientar e dar suporte aos pacientes e familiares, acompanhar uma disfagia que já compromete a ingestão alimentar, para atuar na melhora da qualidade do sono, corrigir as deficiências nutricionais, orientar a melhor dieta individualmente para controle do peso, que é tão importante quando se trata da mobilidade dos pacientes, cuidar do metabolismo ósseo evitando fraturas, melhorar a ingestão de crianças extremamente seletivas, cuidar da saúde do paciente e de toda a família.


A boa alimentação é essencial, para que possamos viver com muita saúde para aproveitar todos os momentos felizes que a vida nos reserva, mas para isso precisamos nos reaproximar da comida de verdade, aquela refeição simples feita pelas nossas mães e avós, que nutrem o corpo e a nossa alma.


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Flávia Rodrigues Leite é nutricionista formada pela UNIVAP com honra ao mérito de aluno destaque. Atua principalmente no atendimento de pacientes portadores de doenças raras, como DMD, Distrofia de cinturas, miopatia metabólicas e congênitas, patologias autoimunes como esclerose múltipla e Miastenia gravis, dieta cetogênica para controle de crises epilépticas não responsivas ao tratamento medicamentoso como por exemplo na lipofuscinose do tipo 6, autismo e saúde da mulher.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo